Ricanato: Será a centelha representando a luz no fim do túnel do Futebol Tocantinense?

0
308

10632800_1335877989785590_5082166440011311303_n

Acompanhando de forma gélida a última década do nosso futebol, principalmente a situação de nossos clubes, garantimos, que, a situação vai ficando insustentável ano a ano, haja vista que os resultados de clubes tradicionais do nosso futebol vão definhando em cada competição disputada.

Este artigo não tem como escopo a caça as bruxas ou a procura de bode ou bodes expiatórios para o momento frágil que vive o nosso esporte bretão, pois sabemos das enormes dificuldades que os nossos cartolas passam para colocar suas respectivas equipes de forma apta na disputa das competições.

É necessária uma coalizão de ideias e ideais entre a Federação Tocantinense de Futebol e os Clubes, pois não há como buscar investimentos para as competições realizadas no estado, seja da iniciativa privada ou no governo, sem que a FTF e seus jurisdicionados não falem o mesmo idioma.

A Imprensa também tem seu dever e não absolvo que temos bastante a melhorar, principalmente no zelo e cuidado ao comentar, pois microfones, câmeras e teclas de computador não podem ser tratados como instrumentos de incitação, de paixão ou de causar discórdia, os profissionais da crônica esportiva tem a obrigação de passar aos ouvintes, telespectadores e internautas os fatos fidedignos que acontecem na seara do esporte.

Clubes da estirpe do Araguaína, fora das disputas profissionais do estado, agremiação de maior torcida do Tocantins, afirmo sem medo de cometer equivoco, que uma competição profissional sem a presença do Tourão do Norte é calamitosa, outro fato lamentável é a situação que o Palmas vêm atravessando nos últimos anos, e olhe que era pra ser pior se não fosse o esforço excomunal de abnegados como Richard Sanches, o saudoso Alexandre do Quarteto e outros que tentam manter viva, a paixão pelo Tricolor da Capital.

As outras equipes de ponta do nosso futebol (Interporto, Gurupi, Tocantinópolis) têm enormes dificuldades para manter seus planteis em atividade, fazem das tripas coração para permanecer em funcionamento nas categorias de base, em suma; A cada ano montam times de verão em busca de conquistar o estadual da 1ª divisão.

O caminho para adequarmos e melhorarmos nosso futebol é longo, porém, é necessário começar a caminhar de forma planejada, unida, transparente, sem ciúmes e principalmente respeitando a opinião de todos, para que juntos possamos encontrar as melhores soluções para o nosso futebol.

Ah, o RICANATO, clube que vem de degrau em degrau conquistando seu espaço dentro do Tocantins, em 2014 quando foi eliminado na semifinal da 2ª divisão pelo Paraíso, até pensei que poderia haver um desânimo ou coisa do gênero, nada disso, o que realmente aconteceu foi o melhor planejamento, contratações pontuais para o departamento de futebol, comissão técnica e jogadores, fortalecimento ainda maior das categorias de base, com isto, os resultados expressivos começaram a aparecer, subiu para a 1ª divisão em 2015, permaneceu na elite em 2016 e agora fatura o Tocantinense Sub-18.

Além das recentes conquistas dentro de campo, também não podemos deixar de tecer a construção do CT, forma humanizada de tratar os atletas, cumprimento dos acordos firmados, até hoje não temos relatos de atrasos no recolhimento em taxas de arbitragem ou inscrições junto a FTF.

O caminho para o Ricanato ainda é árduo, pois ainda precisa conseguir o maior patrimônio que qualquer clube almeja, que sem dúvida alguma é ter ao seu lado uma grande e fiel TORCIDA, resta sabermos se os objetivos do Ricanato se resumem a revelação de atletas para comercialização posterior ou se vai investir na equipe profissional, para que num futuro possa ter em sua galeria de conquistas, várias Taças das competições no Tocantins.

Parabéns Ricanato e esperamos dias melhores para o nosso FUTEBOL TOCANTINENSE…

Rochinha Martins

Responda

Please enter your comment!
Please enter your name here