Meu ex-Sogro pode,eu posso e os próximos não poderão ficar eternamente no poder!

0
211

Mais uma de Ricardo Teixeira no comando da CBF,depois que ele(Ricardo) e seu ex-sogro(Havelange) praticamente se perpetuaram no comando da entidade maior do nosso futebol,a partir do próximo mandato a frente da CBF,as reeleições poderão ser limitadas,confira artigo na íntegra:

Além de discutir a situação de Ricardo Teixeira no comando da CBF, a Assembleia Geral realizada na última quarta-feira, no Rio de Janeiro, debateu também possíveis alterações no estatuto da entidade.Três alterações foram debatidas oficialmente: a proibição de contribuições financeiras para campanhas políticas, a antecipação da divulgação dos candidatos de seis meses para um ano e o veto àqueles que têm cargo em federações de ter um também na CBF. Uma quarta alteração  foi ventilada por alguns presidentes – mas gerou polêmica: limitar a dois mandatos o exercício da presidência da entidade. Nesse caso, o mandato máximo de um presidente seria de oito anos (dois mandatos de quatro).

A discussão do fim da reeleição gerou discórdia. O presidente da Federação Pernambucana, Evandro Carvalho, disse que o tema foi proposto mas não aprovado:

– Isso precisa de uma ratificação posterior.

Nos bastidores, alguns dirigentes disseram que que o limite à reeleição foi debatido. Outros negaram veementemente.

– Isso é muito importante e só deve ser discutido oficialmente na próxima assembleia – disse um presidente, que preferiu se manter anônimo.

– Isso não foi discutido em momento algum  – disse Marco Polo del Nero, presidente da Federação de São Paulo.

O pernambucano Carvalho chegou a dizer que as outras mudanças já foram aprovadas:

– Todos os presidentes já chegaram à assembleia sabendo das mudanças. Claro que elas foram expostas novamente aos presidentes, para detalhar as alterações, explicar as mudanças propostas e fazer pequenos ajustes. Tudo foi votado e aprovado por unanimidade. A reforma no estatuto da CBF é uma proposta dele (Ricardo Teixeira). O mérito é dele. A assembleia analisou e fez algumas alterações técnicas, mas insignificantes – disse Carvalho.

O dirigente afirmou ainda que a tendência é que Ricardo Teixeira peça mesmo licença do cargo de presidente para cuidar da saúde. Em algumas federações, esse assunto é tratado como certo, porque teria sido “negociado” na Assembleia Geral.

– Ele fará alguns exames e certamente fará um tratamento menor. Assim, o vice (José Maria Marin) assume normalmente e em 2014 haverá eleição – falou Carvalho.

Marco Polo Del Nero, da Federação Paulista de Futebol confirmou o veto às doações para campanhas politicas e a mudança no prazo para apresentar os candidatos da eleição.

– No caso das contribuições para campanhas políticas, nós precisamos nos adequar à legislação vigente e isso vai estar no estatuto. Quanto ao prazo de um ano para antecipar a eleição, isso é comum em outras federações e será também na CBF  – declarou o mandatário do futebol paulista.

O presidente da Federação Gaúcha, Francisco Novelletto, segue a mesma linha de Del Nero. Segundo ele, o limite à reeleição não foi assunto:.

O presidente da Federação Gaúcha, Francisco Novelletto, segue a mesma linha de Del Nero. Segundo ele, o limite à reeleição não foi assunto:.

– Em relação a uma eleição, a única coisa alterada foi essa antecipação para um ano antes do prazo, o que para mim não muda em nada – falou Novelletto.

Há uma nova Assembleia Geral da CBF planejada para abril.  Francisco Cezário de Oliveira, presidente da Federação de Mato Grosso do Sul, foi o mais enfático ao falar sobre a reeleição. E afirma preferir o sistema atual, em que o presidente pode ser reeleger quantas vezes quiser. Tanto que Ricardo Teixeira está no poder da CBF há mais de 20 anos.

– É uma entidade privada, a pessoa pode tentar se reeleger tantas vezes quanto quiser – falou Cezário de Oliveira.

Já André Pitta, da Federação Goiana, parece ter sido pego de surpresa com as possíveis alterações no estatuto da CBF.

– É a primeira vez que ouço falar sobre estas mudanças. Pode ter sido sugestão de algum dirigente, mas eu não fiquei sabendo.

Por GLOBOESPORTE.COMRio de Janeiro

Responda

Please enter your comment!
Please enter your name here