Colunista Juninho Bill faz resumão do Tocantinense 2014 !

0
423

A fera do campeonato não entra em campo

A réplica da bola de cristal que a Mãe Dinah me mandou antes de falecer, certamente veio com defeito! Apostei todas as fichas que a equipe do Tocantinópolis seria campeão em casa, previ que 1×0 em Porto Nacional era muito pouco… Qual, o quê? Foi mais que suficiente e o Interporto foi soberano como já houvera feito em outras três oportunidades no campeonato. Venceu o verdão do bico novamente pela contagem mínima. Foi Inquestionável. Parabéns!

Porém, se os elencos são tão iguais, repletos de “figurinhas” conhecidas no futebol tocantinense, além de artilheiros incontestáveis, como explicar a superioridade do Interporto?? Simples!! A diferença está no banco de reservas. Carlos Magno é o diferencial e o fato de ter sido expulso no meio do último jogo por reclamação não é capaz de retirar-lhe os méritos. As equipes treinadas por ele tem desenho tático definido. Qualquer leigo pode visualizar da arquibancada a forma como os atletas se posicionam, como resistem defensivamente quando atacados e ainda como atacam em bloco quando retomam a posse de bola. Sabedoria e experiência! São estes fatores que diferenciam o time treinado por ele dos demais participantes do torneio.

Um fato interessante é que os dirigentes das agremiações tocantinenses quase nunca contratam o “papa-títulos” no início do campeonato. Quase sempre o campeão está desempregado quando a disputa regional se inicia. Após resultados pouco convincentes, os diretores demitem o técnico e iniciam a peregrinação para contratar a “tábua de salvação” chamada Carlos Magno… Porque isso ocorre?? Sinceramente ainda não entendi, mas as circunstâncias me levam a crer que a pedida financeira dele é alta. Os clubes recuam e tentam o “quebra-galho” mais barato (não foi o caso do Roberto Oliveira, que isso fique claro!) e quando os resultados não aparecem, pagam o salário que o “salvador da pátria” entende como justo pelo que pode oferecer.

A série “D” vem aí, Interporto!! Não cometa a sandice de demiti-lo após um ou dois reveses!

Quanto à torcida do Tocantinópolis, um show à parte. É bonito de se ver a festa que promovem nas arquibancadas dos estádios onde passa. Trata-se do décimo segundo jogador, sem dúvida, uma vez que jogam o tempo todo com o time, além de incentivá-los a continuar lutando nos momentos mais adversos. Recebam os meus sinceros parabéns, torcida verde do bico do papagaio!!

Inobstante a tudo isso, o Tocantinópolis adquiriu o direito de participar da Copa Verde de 2015, recolocando-o no cenário nacional. O torneio reúne times de médio porte para baixo das regiões centro-oeste, norte e do Estado do Espírito Santo e dá ao campeão, o direito de disputar a Copa Sul-Americana. É um bom começo.

Em contrapartida, o Interporto garantiu calendário de jogos para o segundo semestre de 2014 e 2015 (campeonato brasileiro série D) e participação na Copa do Brasil do próximo ano, competição que dá ao campeão, o direito de disputar da Copa Libertadores da América.

Resta claro, portanto, que ambos adentrarão no campeonato tocantinense de 2015 como favoritos, em razão desses fatores. São favas contadas que ambos farão pré-temporadas mais longas, obterão bons patrocinadores, além de certamente buscarem contratações de nível técnico comprovado, visando disputar as competições para as quais estão classificados.

O campeonato de 2014 foi excelente, emocionante! Todos: jogadores, comissões técnicas, árbitros, federação, e óbvio, as torcidas, merecem sinceras congratulações! Que venha 2015!! Estaremos lá para acompanhar, se Deus assim permitir!!!

Juninho BILL

Responda

Please enter your comment!
Please enter your name here